sexta-feira, 30 de maio de 2008

Pela primeira vez o mar

Eu nunca tive essa primeira  memória, mas guardo nos meus olhos a expressão do Mateus, meu filho, com dois anos.
Ao ver numa manhã de sol; o mar pela primeira vez, ainda da janela do ônibus, na cidade maravilhosa, disse:
'Nòhhh, mãe que tantão de água'!
Seu olhar era pleno e encantador, assim como o mar.
A decepção veio minutos depois, quando já na areia, corre até as ondas e prova o mar, o sabor surpresa do sal, a tristeza no olhar.

Aceitação

Já muito tarde, quase de madrugada,
descalço minhas almas para adormecer e sonhar.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Estranha

Mesmo convivendo comigo há décadas,
não reconheço os lapsos de memória,
nem o olhar perdido diante
do meu reflexo no espelho.

quarta-feira, 7 de maio de 2008