terça-feira, 30 de novembro de 2010

As Falklands são Malvinas

ushuaia (71)

 

 

 

 

 

 

Essa frase não é minha mas reflete o  que temos visto
desde a primeira cidade argentina, monumentos em praças públicas,
em bandeiras nas aduanas, nas ruas  das cidades, nos mapas, em souvenirs,
tudo e qualquer coisa sempre com dizeres que as Malvinas são Argentinas!
É válido até  homenagem aos soldados mortos nas Malvinas!
Mas o movimento nacional para a devolução das Malvinas para à Argentina,
não sei se é unanimidade entre o povo argentino.

DSCN5280

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ushuaia

 

Já vinha me acostumando com o frio, o vento, a neve
Gostei do mar, da baia e do porto daqui
Achei até um trabalho no fim do mundo!!!

DSCN5218

sábado, 27 de novembro de 2010

Mirador

 

torresdelpaineblog2

              

           torresdelpaineblog21

torresdelpaineblog18

             

 torresdelpaineblog19

 

 torresdelpaineblog6

 

torresdelpaineblog16 

                

 

 torresdelpaineblog12

 

                           torresdelpaineblog15                        

torresdelpaineblog10

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Azul - Paine

torresdelpaineblog9 Um lugar que é assim de cores estranhas.
Verdes de todos os tons,ventos fortes.
Águas foscas que lembram aquarelas.
Sombras e contornos que deslumbram.
Depois enormes torres de pedras
que rasgam o céu à força,
com intimidade e indiferença.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Saga para chegar em Puerto Natales

puertonatales (11)

Hoje foi assim, mais uma surpresa de percurso,
Decidimos seguir para Puerto Natales pela estrada de asfalto,
desde El Calafate e entrar no Chile pelo Paso da Dorotéia.
Planos são assim, contam sempre com fatores externos,
chegando na entrada da cidade de Rio Turbio
tinha vários carros bloqueando a estrada,
tambores com pneus pegando fogo e
fazendo uma fumaça preta e fedorenta.
Paramos perto, depois de ver um carro da polícia,
e lá  fomos nós perguntar se podiamos passar:
Não! Foi a resposta e nos deram a sugestão
de passar pelo Paso de Laurita / Casas Viejas
a estrada é um pouco mais longa e tem 10 km de ripio (terra e pedras),
na nossa frente um ônibus cheio de estrangeiros e mochilas enormes,
Como no final nós latinos sul-americanos não somos gringos,
e estamos em veículo próprio, nos atenderam na frente,
numa espécie de fila virtual.
Fila, papéis preenchidos, documentos e muitos carimbos , 
um pouco de bate-papo com os policiais sobre a viagem,
sobre o Rio de Janeiro, violência, cinema brasileiro,
frio e futebol, chegamos em Puerto Natales. 
Uma pequena maratona de ver alguns hotéis,
pechinchar no preço,
depois fomos almoçar  a delícia da cozinha chilena, 
Salmão e Centtolas gigantes, saborosas, frescas, delíciosas
Regadas do  melhor vinho chileno!!!
Amanhã Torre del Paine, declarado pela Unesco como Reserva Mundial de la Biosfera.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Azul gelo – a outra cor


   glaciarpmoreno (56)

 

 

O céu amanheceu completamente azul,
o vento insistia, castigando as árvores.
Mas o sol aquecia aos poucos a alma,
porque o corpo estava embalado 
em dezenas de camadas de lã. glaciarpmoreno (44)
uma gigante cebola humana.
Nos guias, nas agências de turismo
e sites diziam que o Glaciar é muito bonito,
mas que sol por aqui é raro.
a estrada para ir até lá é de curvas
que revelam detalhes da Cordilheira branca nevada,
do Lago Argentino verde piscina,
glaciarpmoreno (7)dos rios brancos de corredeiras, ;
da vegetação rasteria das planícies
e do verde escuro quase negro
dos pinheiros das montanhas do parque
E depois no apice, gelo azul, azul celeste,
tão claro que é quase branco.
Ofereço à minha sorte um agradecimento
em imagens e detalhes do que pude aproveitar hoje.

 

 

 

 



glaciarpmoreno (35)

domingo, 21 de novembro de 2010

Vou soprar soprar até sua casa derrrubar

 

Chilechico (32)   

Chile Chico, a cidade sol
Sol, frio, lago e vento muito vento.
O Hotel é de madeira
Minha impressão
é que a qualquer momento
irá tudo pelos ares.

Um olhar - Chile Chico

fachinal (19)

 

 

baiajara 

      fachinal (1) 

 

fachinal (6)

Outras viagens

 

Percorro estranhas estradas,
em planetas que não reconheço,
me exílio de mim mesma
na esperança de encontrar-me de novo.

O Frio em cores e tons

A água quando é azul clara, transparente são águas quentes
Cor que não vejo a muito tempo
Já o azul escuro são frescas, coisa de 23°C a 26°C
No Pacífico, as águas são verde escuro e frias, muito frias
Na mágica Chiloé o mar é verde claro, transparente e gelado
Mas as águas dos lagos alimentados do degelo é muito gelada
No verão ouvi de nativos: a  água continua muito fria,
mas é verão tem que se entrar na água  se não se pode viajar.
As águas pretas são até frias e suportáveis desde que tenha sol
Na Cordilheira dos Andes as águas dos riachos
tem cor de frio, verde muito claro, quase leitoso
E quando finalmente chega a ser água branca 
é o segundo antes de congelar
Ai sim cair na água é morte na certa!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Fora do mapa

Quando  viajo procuro me informar, comprar mapas
e guias dos lugares que quero ir.
Poucas vezes me decepciono com essas escolhas,
mas quando num guia  ou relatos não fazem
nenhuma referência sobre uma cidade,
acredite talvez nem valha a pena passar por lá.
Esse é o caso da cidade de Perito Moreno, Santra Cruz,
aqui a única coisa que funciona bem aqui  são as informações turísticas
que funciona das 7h as 24h a semana toda,
e as duas lavanderias que nem olhei o preço,
porque o trauma aqui foi grande,
o único hotel, muito mais ou menos, com vagas, é caro,
os outros todos estão lotados,
tá bom que é feriado na segunda-feira,
E o jantar.. bom, comemos um comidinha boa mas mui simples e carissima,
imagine que Perito Moreno para o turista é muito mais cara
que Bariloche, a menina dos olhos dos turistas argentinos, chilenos e brasileños.
Quando tem uma cidade que nenhum guia fala nela,
talvez seja melhor nem passar por lá!! 
O triste é confirmar isso ao vivo e ao frio.
Essa eu já tirei do meu mapa também.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Internet e Celular

Não só por vício mas por prazer mesmo, usamos e gostamos de internet, por isso fizemos uma pesquisa de internet pre-paga via celuar na Argentina e Chile.
Sobre as tres principais operadoras que oferecem esse serviço na Argentina, escolhemos a Movistar porque além de ter cobertura em todo o país, tem um site mais claro nas informações de serviços oferecidos, o custo é de $ 9,00 (pesos argentinos) por 48 horas sem limite de velocidade ou de kb, o que sai em torno de R$4,00 reais.
No Chile também usamos a mesma operadora, mas que não oferece a mesma opção de internet pré-paga,  a escolha cai então sobre o plano de $290,00 (pesos chilenos) por hora com velociade mais baixa, o que sai em torno de R$1,00 real a hora.
Essas opções que utilizamos são somente para os lugares onde não teriamos internet WiFi, nos hotéis ou estradas, mas para nossa surpresa, encontramos internet wifi pra todo lado, não só nos hotéis que nos hospedamos, mas no posto de gasolina, todos os restaurantes, shopping, cafés, até no Ferryboat de Pargua até Chiloé, tanto no Chile como na Argentina.
E em outros países como Itália e Grécia tenho usado internet via celular 3G, com ótima velocidade e metade do preço que pagaria pelo mesmo serviço prépago no Brasil.
Coisas que na Terra Brasilis está engatinhando um bom exemplo é que alguns hotéis no brasileiros, como o Formule Um em São Paulo cobra a uma fortuna para utilização da internet WiFi e isso sem falar que a telefonia e internet via celular no Brasil é a das mais caras do mundo.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Chiloé - Pacífico

Chilote

Encantadora ilha de Chiloé

 

 

 

 


Como mágica,
numa praia deserta,
num dia de sol,
mergulhei minha alma no mar,
um mar transparente,
em todos os tons de verde,
quase sem ondas,
e frio quase gelado.
Já mudei de endereço de novo
Procure por Chiloé,
a ilha que me encantava pelo nome,
por suas lendas e mitologia,
me consquistou por sua beleza única!

Banho de mar no Pacífico, Chiloé

domingo, 14 de novembro de 2010

Um vulcão de emoções

 

A vida é assim
um dia tem sol,
neve nas mãos,
felicidade.
Aí vem a tristeza
e me abraça, com força.
Em palavras corta meu coração,
rouba minha felicidade
e tenta arrancar
de dentro de mim
o amor, o meu amor.
Dizendo adeus.

A desesperança

valdivia (16)

 

 

 






Valdivia era minha esperança,
de estar  novamente no Pacífico,
e de molhar ao menos meus pés,
nas suas verde e frias ondas.
Num dia de sol e céu azul,
fomos ver o mar de Valdívia,
tudo perfeito para realizar o sonho.
Mas que nada, o vento castigava a pele,
o frio doía nos ossos,
e eu esmoeci,  sem coragem desisti,
na desesperança de tocá-lo ao menos uma vez
disse não para aquele oceano fortaleza.
Parti mas não sem olhar para trás muitas vezes,
seduzida per seu magnetismo.
Talvez a gente se encontre mais ao sul
Talvez a ilha de nome encantador, Chiloé,
me conduza às águas verde do meu Pacífico. valdivia (9)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Branco Neve

 

vulcão villarrica ao entardecer, Pucon


 

 

 

 

 

 

De tudo branco neve,
Daquela intensa fumaça também branca
Guardo nas mãos o delicado toque da neve fria e seca
E do sol que aquecia minha pele
Das bolas de neve voando pelos ares
De outro sonho encontrado!


E la vai munição!!!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Villarrica

 pucon (4)

Tem um lago, um vulcão e uma cidade
todos com o mesmo nome!
O céu encoberto escondeu o vulcão.
Agora estou longe do mar,
mas da janela do quarto
vejo o lago  e o entardecer.
Mas o charme todo fica para Pucon,
mais um lugar para se encantar e
ficar alguns dias para descansar,
assim quase de férias.

temuco (1)

Oda al Mar – Pablo Neruda

 

Aquí en la isla
el mar
y cuánto mar
se sale de sí mismo
a cada rato,
dice que si, que no,
que no, que no, que no,
dice que si, en azul
en espuma, en galope,
dice que no, que no.
No puede estarse quieto,
me llamo mar, repite…

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Isla Negra

islanegra (2)

    


Com a cordilheira de picos nevados às costas
a estrada nos leva rumo a Oeste,
demoramos para chegar,
nenhuma indicações em placas, ou no guia,
precisamos pedir informações e
aumentar o caminho em alguns kilometros.
O vento continua frio,
o céu todo encoberto, 
chegando em isla negra
o mar verde nos recebe violento e bravio,
com ondas implacáveis,
aqui o Pacífico tem o cheiro da sua força,
a audácia da sua grandeza e poder.
islanegra (5)Nas estradas estreitas e cheias de curvas,
a neblina é densa,  tão pesada
que escorria entre os pinheiros
e se amontoava no chão por todo o caminho.
O Sol frágil  não aquece nada,
e toda essa névoa esconde  o mar.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Santiago

 

 De LAs Chascona se vê a neve eterna de Los Andes  A cordilheira vista de Santiago
A Cordilheira, com neves eternas, 
abraça Santiago à  leste,
Alta, branca, com reentrâncias profundas,
o relevo dos Andes não se desvenda
mas  se mostra em pequenas nuances
de acordo com a luz que o sol concede.
A cidade na primavera se veste de verde claro nas árvores,
de azul no céu e todas as cores nas flores.
Onde encontrei o país, o mar, os andes    
e as palavras de Neruda,
Tão encantador como cada verso seu!

santiago (57)    santiago (50)    santiago (69)    santiago (76)

domingo, 7 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Mesmo encoberto aqui é lindo

chanaral


Acabou o deserto,
as montanhas de pedras,
já tem algum verde
e debruçam sobre o mar forte.
Me gusta tanto el Chile
que ja escolhi um terreno, à venda,
que fica entre Los Hornos e La Serena
de frente para o Pacífico!!

Pacífico

Antofagasta ao anoitecer

 


 



Ele é verde, com ondas grandes e bravo!
Antofagasta é de frente para
todos os entardeceres.
Vê-lo na descida da cordilheira
e depois de um deserto gigantesco,
mesmo estando  o céu encoberto
foi uma boa emoção!
Amanhã, já em La Serena,
pés nas águas do Pacífico!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Rumo sul



Valle de la luna, anfiteatro

Fim de Atacama,  o ponto mais norte 
do Chile que iríamos visitar.
Agora o rumo será sempre sul
até a última cidade da América do Sul.
Dunas no parque Valle de la lunaO deserto, o salar,  
as lagunas, a areia,
de cemitério indígena,
na beira do caminho,
sem cruzes ou nomes,
somente pedras empilhadas,
Cemitério indigena de Atacamaqualquer uma dessas paisagens
que mudam de cor
conforme a luz do sol,
ao amanhecer e entardecer, 
cujos nossos olhos
não estavam acostumados,
nos deixou sua marca 
Caverna do Valle de la lunana retina e na memória,
nada foi ou será igual 
a esse espetáculo de  
exuberância  da natureza
desse lugar seco e frio,
de sol todos os dias
e muito vento.