quarta-feira, 4 de julho de 2007

Paciência


Esperar é uma palavra que não suporto.
Já, bizarro, amo de paixão.
Embora observe a natureza humana,
na maioria das vezes não entendo.
Tudo bem, o sol não gira e
a vida morre em doses eternas.
O tempo me consome do avesso.
Hoje se não morro, mordo.

2 comentários:

Angie B. disse...

As palavras. Poetas em si mesmas.

Adorei o verso.

Aproveita muito tudo ai, para quando chegares, nos inundares de historias....

Abraço

http://gosuen.zip.net/ disse...

Cristina,
Essa coisa de paciência também é meu tormento, tem dia que nem eu me aguento.
Um abraço, Luiza