quarta-feira, 6 de abril de 2011

Novo Rio

 


Ontem na rodovária quando voltava pra casa, me acontece algo no mínimo inusitado, estava lendo esperando a hora do bus, tinha do meu lado um rapaz com uma mala pequena e um pacote que podia ser um presente. Do outro lado dele uma senhora.
O rapaz se levanta e diz pra mim dá uma olhada nas minhas coisas que só vou ali buscar uma coisa pra beber, eu devo ter feito uma cara, porque ele imediatamente disse é rápido, e não tem uma bomba na mala, juro que não demoro.
E desapareceu, passado uns cinco minutos a mulher me olhou e disse que  tinha pegar seu ônbus, me contou uma historia confusa que não entendi direito, me distrai por um segundo e ela também desapareceu, assim como rapaz, no ar!
Olhei para todos os lados tentando reconhecê-lo, mas já não me lembrava nada da sua fisionomia, nem se quer da sua roupa a não ser uma vaga lembrança de algo bege.
O tempo foi passando cheguei a ler um capítulo inteiro, e comecei a ficar incomodada com a situação, tudo bem que bomba não é coisa pra Brasil, mas e se for algo assim ilícito que qualquer outra pessoa venha pegar, deixo pegar? e se.. Ou ainda for aquela pegadinhas ridiículas que passam domingo a tarde na TV? Nóia de quem acabou de voltar de férias do interior do inteiror do Brasil e caiu de paraquedas na rodoviária da cidade grande. Desconforto!
Aiiiaaaa estava tão tranquila e quietinha, entretida com meu livro.. comecei a não prestar a atenção nas palavras que lia, buscava um plano B, se desse a hora do meu ônibus sair.. procuro um guarda, um segurança? Vou embora  e deixo a mala ali?  Olho de novo no relógio gigante perdi a noção do tempo, tem quinze minutos ou meia hora que o cara saiu?
Tem gente que é assim tranquilo com a vida, com suas coisas, com os códigos de ética afinal tinha dado minha palavra. Deixa seus pertences com um estranho olhando para não serem roubados.. coisas e atitudes que só encontro no meu Brasil.
Acabei relaxando  e continuei lendo meu livro.
Ahh  quer sabe se o rapaz voltou?
Sim, demorou mas apareceu, sorrindo, bebendo guaravita, falando sem parar no seu telefone/rádio  e sua blusa era listrada de preto e branco e a bermuda amarelo claro, quase bege.

3 comentários:

Anônimo disse...

Chris, acho que você escapou de cair em algum golpe ou conto do vigário. O rapaz deve ter voltado (depois de dar tempo suficiente para você cair na armadilha) simplesmente para recuperar o material e partir para uma nova tentativa. Do episódio tiro duas conclusões: (a) você tem carinha de mineirinha otária; (b) você não é otária como parece. Bem-vinda de volta ao Bracuhy.

Eu mesma disse...

Bom dia anonimo, adorei o comentário, to rindo até agora. Incrivel como se pode dar diferente versões para a mesma história. Então o rapaz voltou e ficou sentado um tempão do meu lado ainda, sempre falando com a namorada no telefone, estava esperando um amigo que viria buscá-lo. ele tinha vendido o carro e voltou de macae de bus. bjim

Miroca disse...

oi chris, só com vc mesmo pra acontecer essas coisas, pq vc não vê maldade em nada. Legal. Mas fique esperta pra não cair no conto do vigário. Adorei sua viajem, tirando os perrengues, claro. Benvinda. bjs